quarta-feira, 13 de maio de 2009

De passagem...trazendo Lya Luft

Ando lendo, escrevendo, lendo, escrevendo, lendo, escrevendo...e sem tempo de postar aqui. Mas relendo um (dos meus) blog antigo, que abandonei faz tempo (e por enquanto), reli esse poema que agora cabe tao bem, e sempre, no meu sentir e pensar:

Não perguntem pelo meu poema:
Nada sei do coração do pássaro
Que a música inflama.
Não queiram entender minhas palavras:

Não me dissequem, não segurem entre vidros
Essas canções, essas asas, essa névoa.
Não queiram me prender como a um inseto
No alfinete da interpretação:
Se não podem amar o meu poema, deixem
Que seja somente um poema.
(Nem eu ouso ergue-lo entre meus dedos e perturbar a sua liberdade).


(Lya Luft)
Postar um comentário